São Vicente de Paulo Samaritano

São Vicente de Paulo SamaritanoVicentinos

Depois de palmilhar tantos caminhos, teu olhar se fixou para sempre no Senhor. Com ele, aprendeste a inclinar teu coração sobre o irmão ferido e abandonado.
Não cedeste à prepotência de
quem se julga superior, muito menos à indiferença de quem finge não ver. Não passaste adiante, justificando tua pressa. Teu prestígio não obscureceu tua verdade, nem tuas conquistas te fizeram menos humano.
Naquela estrada, o Senhor te encontrou, inquieto, em busca de sentido para o teu
peregrinar. E, ali, tu encontraste o Senhor, na face machucada do teu próximo, na lágrima do que fora esquecido, na solidão do rejeitado.
Sem vacilar, entraste no movimento da Misericórdia, fazendo-te o próximo dos caídos, dilatando teu coração compassivo, estendendo tuas mãos operosas, recobrindo a indigência com o manto da caridade.
Com delicadeza, criatividade e cuidado, derramaste sobre os feridos o bálsamo da misericórdia. Com firmeza, lucidez e vigor, interpelaste os insensíveis e acomodados.
É que teu olhar já se fixara no pobre, o mesmo olhar que se fixara no Senhor, Ele que considera como feito a si o que se faz ao menor dos seus irmãos.
E, neste movimento, encontraste tanta gente: Maria, a Mãe de Misericórdia e do Sorriso; São José, o trabalhador de mãos calejadas; Luísa de Marillac, a irmã dos desamparados.
E bem que poderias ter encontrado tantos outros que trilharam os mesmos rumos no chão da nossa terra:Madre Paulina e Irmã Dulce, Dom Helder e Padre Alfredinho, Irmã Lindalva e Dom Luciano…
Faze ecoar em nossos ouvidos, Ó São Vicente Samaritano, o apelo de nosso Irmão Misericordioso: “Vai e faze a mesma coisa”. E nós remos… Na tua companhia.
(Autor: Pe. Vinícius Augusto Teixeira, CM).
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
X