Notícias › 15/12/2017

Imprimir

Papa encontra no Vaticano membros da Aliança Evangélica Mundial

Sobretudo temas ecumênicos marcaram o encontro privado ontem entre o Papa Francisco e membros da presidência da Aliança Evangélica Mundial.

Sorin Mureşan, responsável pelos serviços sociais da Aliança Evangélica, estava no encontro. Eis o que declarou à RV após a audiência:

“Encontramos o Papa para uma discussão ecumênica sobre como encontrar um caminho comum. No mês de outubro deste ano foram publicados dois documentos da Aliança Evangélica Mundial sobre temas teológicos. Hoje, com o Papa, tivemos a intenção de propor a criação de um Comitê Permanente de diálogo entre a Igreja Católica, que é a maior Igreja do mundo, e a Aliança Evangélica Mundial. Pensamos que o papa tem uma abertura especial. É muito fácil falar com ele”.

Nascimento da Aliança Evangélica

A história deste organismo está ligada ao século XIX. A ideia de uma Aliança Evangélica, voltada à comunhão e à cooperação entre cristãos evangélicos de diversos países, difundiu-se pela primeira vez na Inglaterra, em 1848.

Em uma Europa sacudida por slogans revolucionários, os fundadores da Aliança declaram-se “profundamente persuadidos” quanto à necessidade de “formar uma confederação com base nos princípios evangélicos e que recebia um apoio comum”.

A iniciativa é sucessivamente imitada em um crescente número de países. Grande parte destas alianças evangélicas nacionais convergiram mais tarde na Aliança Evangélica Mundial.

Oração e caridade

No decorrer do primeiro século de sua existência, a Aliança apoiou múltiplos projetos, entre os quais, diversas  iniciativas para a promoção de uma semana de oração em todo o mundo.

Em 1958 nasce a Aliança Evangélica Missionária que reúne quase todas as sociedades missionárias evangélicas.

Em 1973 é fundada a agência humanitária Tearfund, comprometida em obras caritativas em diversos países. Em 2004, graças a esta ONG de inspiração cristã, são ajudadas mais de 700 mil pessoas de países do sudeste asiático – entre os quais Sri Lanka e Indonésia – devastados pelo terremoto e por um tsunami.

Por Rádio Vaticano