Artigos › 30/08/2016

Imprimir

Celebrando o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

No dia 16/08/2015 o Papa Francisco instituiu a Data mundial de oração pelo cuidado da criação a ser celebrado no 1º de setembro de todos os anos. Enviou cartas aos Cardeais Peter Kodwo Appiah Turkson, do Pontifício Conselho de Justiça e Paz, e Kurt Koch, Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção das Unidade dos Cristãos, convidando ao irmão Patriarca Ecumênico Bartolomeu às iniciativas incentivadas pela Encíclica “Laudato Si” – sobre o Cuidado da Casa Comum.

Diante da crise ecológica e civilizatória que estamos vivendo, este evento espiritual está a nos lembrar da necessidade de uma verdadeira conversão ecológica que reduza e minimize os efeitos de nossa pegada, da nossa interferência nas mudanças climáticas, na poluição e degradação da criação.

Trata-se de resgatar nossa missão de custódios e jardineiros da terra, rompendo com o paradigma tecnocrático que busca a dominação e o poder tornando o ambiente e as demais criaturas em objeto mercantil a ser precificado no mercado. Para o Cardeal Turkson este dia deve encorajar medidas socioambientais e culturais que levem a um estilo de vida mais simples e despojado, alicerçado no bem viver e conviver que questiona a cultura do descarte e do efêmero. Já o Cardeal Koch está a assinalar o envolvimento das Igrejas Cristãs e Religiões na defesa da vida e da integridade do planeta, gerando a responsabilidade universal pelo cuidado da criação. Esta data é bem vinda, pois, possibilita um crescimento na consciência ecológica que nos conduz a uma responsabilidade e comprometimento mais intenso e forte na linha de assumir, como São Francisco, a integração harmoniosa das três bandeiras: a bandeira marrão dos pobres, a bandeira verde da terra e a bandeira branca da paz, que são inseparáveis e indissociáveis. Finalmente acreditar na força da oração pelo cuidado da criação, que chega ao coração de Deus e nos transforma em protagonistas de uma cidadania planetária ao serviço da preservação e proteção da maravilhosa teia da vida, da sua beleza e diversidade. Deus seja louvado!

Por Dom Roberto Francisco Ferreria Paz – Bispo de Campos (RJ)